quarta-feira, janeiro 09, 2008

Referendos e Promessas

Até hoje nada tinha dito sobre o referendo e o Tratado de Lisboa, aqui. Quem comigo conversou sobre o tema sabe a minha opinião e sabe que não sendo uma fervorosa adepta de referendos, muito menos a Tratados Internacionais, "core business" da política a sério, entendia que havendo um compromisso com os portugueses, este deveria ser cumprido porque, numa lógica estritamente nacional, são mais importantes os compromissos assumidos por um Primeiro Ministro com o seu "povo" do que aqueles assumidos com os seus pares. Mas a real politic não se compadece dos compromissos e das promessas, e muito menos do desejo dos povos. E o Tratado tem que ser ratificado, sem espinhas, como se diria na gíria dos advogados, pelos 27 Estados até ao final do ano.

E assim, em nome do pragmatismo e da eficiência (a tal real politic), mais uma vez o PM faltou à palavra dada. Mas é apenas "mais uma vez" e nem sequer me parece que tenha sido o caso mais grave, para quem já faltou à verdade sobre as suas habilitações, sobre a política fiscal, sobre a política social, sobre a saúde, sobre a segurança... enfim, trapalhadas, diria o outro senhor, e teria razão!

2 comentários:

Excluido mas Atento! disse...

É só inveja...

Drine disse...

Zoskinha... achas possível saber-se a idade do puto q te comentou com esse nick aí acima? Gostava...é uma questão memso de curiosidade. Bem idade mental superior a seis porque já escreve mas... mais q isso duvido!!

Olha qt ao Referendo mas quem acreditava q o "inginheiro" iria perder mais uma oportunidade de dizer q na capoeira só cabe um galo e é ele?!


Desta entendo um black out ao comment.

Kiss dear :)