sexta-feira, abril 28, 2006

Piramidalis

Eis um Blog novo nas redondezas! Pelo que já vimos podemos dizer que tem bom gosto, sentido de humor e espírito crítico. Pelo que não vimos mas conhecemos da autora, podemos dizer que será um Blog para estar sempre nos favoritos!

Ainda bem que por aí andas Piramidallis!

quinta-feira, abril 27, 2006

Fazer Futuro

Curiosamente, a bloggosfera, sempre tão crítica da Direita e particularmente do CDS, tem dado um bom exemplo de como, apesar disso, consegue reconhecer a qualidade quando a encontra. Afinal, só assim se justificam os elogios que tem merecido a Moção Fazer Futuro.

Segundo as palavras que lemos, no ABC do PPM, no Blasfémias, no A Arte da Fuga e no Insurgente, a Moção Fazer Futuro está a fazer, também, o seu caminho e consegue que lhe seja reconhecido o mérito de procurar romper com o paradigma do CDS exclusivamente democrata-cristão, socialmente muito conservador e avesso a uma economia verdadeiramente liberal.

E é por ser tudo isto que eu subscrevo e apoio a Moção Fazer Futuro. Porque ela corresponde à minha ambição de ter em Portugal um partido de Direita Liberal e Moderna que consiga fazer a síntese das virtudes do liberalismo económico com as correcções de uma preocupação social de matriz democrata-cristã; que seja institucional e doutrinariamente conservador mas que seja, ao mesmo tempo, socialmente liberal sem cair no erro de considerar liberal e moderno o paradigma da Esquerda que ainda vive no Maio de 68; que saiba dar resposta aos desafios da modernidade e responder de forma eficaz às preocupações dos cidadãos nas áreas da economia, justiça, educação, ambiente entre outras.

Um partido que reconheça na pessoa, e não no Estado, o motor do desenvolvimento e do progresso e que por isso mesmo reduza a intervenção do Estado àquelas situações em que este terá que servir de regulador ou corrector das situações de maior desigualdade ou exclusão. Um Estado eficaz que resolva os problemas ao invés de os criar. Um Estado menos burocrático que facilite a vida das pessoas ao invés de criar barreiras administrativas ou legais. Um Estado menos pesado que se concentre nas suas tarefas fundamentais ao invés de procurar manter a sua rede tentacular. Um Estado moderno que assuma os novos desafios ao invés de viver anquilosado no passado.

Tudo isto será Fazer Futuro!

quarta-feira, abril 26, 2006

Evolução da vida

Há exactamente 10 anos estava em Washington, depois de ter passado durante umas horas pelo aeroporto JFK, em NYC.
Lembro-me perfeitamente da sensação de me sentir no meio do verdadeiro poder, da imponência daqueles edifícios e daquelas ruas intermináveis, do fascínio de estar pela primeira vez em solo americano.
Foi, de facto, a realização de um sonho! The American Dream!
10 anos depois estou em Lisboa, a trabalhar e atulhada de relatórios para a Ordem dos Advogados. Esperemos que a evolução não continue assim porque caso contrário prefiro não imaginar onde estarei daqui por 10 anos!

terça-feira, abril 25, 2006

Coisas que eu não aceito!

Ouvi hoje um deputado socialista dizer que a II República terá sido o período mais negro da história de Portugal. Sem qualquer saudosismo salazarista, ao qual não apenas não sou dada, como também não julgo ser de alimentar, parece-me completamente despropositada tal caracterização.
Na minha opinião, como alguém que conhece a história, que sabe que Portugal é o mais antigo Estado Nação da Europa, e tendo eu orgulho na nacionalidade Portuguesa, com que nasci, não tenho qualquer problema em afirmar que o período mais negro na nossa História foi o domínio espanhol, os 60 anos que mediaram entre 1580 e 1640!
E, face a isto, não pode haver discussão. Qualquer português que não sinta isto não sente a nossa portugalidade, e não sabe o que é ter orgulho na fundação do reino de Portugal!
Festejemos, pois, Portugal. O Portugal da liberdade, da democracia e da modernidade!

segunda-feira, abril 24, 2006

O pesadelo

Esta noite eu sonhei que tinha que entregar, até dia 3 de Maio, cerca de 50 relatórios de estágio, pagar cerca de 600 euros e apresentar um tema para dissertação para a oral, se quisesse acabar o estágio.

Como qualquer um pode imaginar, tal sonho era um pesadelo infernal... entre telefonemas para os tribunais a tentar descobrir números de processos que não anotei em devido tempo, tentativas de resumir uma contestação ou petição inicial e contabilização de acções de formação, acordei atordoada e a gritar, como nos filmes!

Eis senão quando percebo que o pesadelo é mesmo real... se quero se advogada tenho que fazer isto tudo, passar pela probatio diabolica no dia 8 de Julho e arriscar-me, ainda, no fim de tudo, a ir a oral!

Oh céus, que raio de caminho de pedras é que eu fui escolher?????

Afinal só pagavam as taxas!



Aqui há uns tempos, o Governo anunciou, com pompa e circunstância, que, a bem do equilíbrio das contas públicas, os membros do Governo passariam a viajar em turística, para poupar uns euritos ao erário público.

O povo, impressionado com o exemplo que vem de cima, ficou contente e aplaudiu.

Uns dias depois, vem-se a saber que, afinal, entre o Estado e a companhia de bandeira (a TAP) há um acordo que permite que os membros do executivo não paguem tarifa mas apenas as taxas, cujo montante não varia consoante seja a passagem em turística ou em executiva.

Isto tudo se passa em Portugal e nada acontece...

As faltas e os deputados

Esta história das faltas no Parlamento tem dado tanta conversa que eu só tenho vontade de perguntar que sol quererá o Eng. Sócrates esconder atrás desta peneira????

sábado, abril 22, 2006

Ventoinhas



Hoje o Google estava assim... Com ventoinhas e painéis solares, na defesa do desenvolvimento suscentável e das energias alternativas.

Muito bem!

quinta-feira, abril 20, 2006

E agora se não se importam...


Vou agarrar nas minhas sacolas e vou-me embora. Amanhã há mais... graças a Deus!


Fantasyland

Oh George, mesmo não querendo ser Presidente, ajuda-me aqui com estas listas... estou a dar em doida!

Pensamentos que reconfortam



Depois de um dia tramado, nada melhor que uma boa dose de egocêntrismo... O que seria do mundo sem mim????

terça-feira, abril 11, 2006

Amor de mãe


A minha Creative Zen Nano cor-de-rosa (que se chama Princesse) é um amorzinho. É pequenina, prática, divertida e uma companhia maravilhosa para os meus passeios na cidade. Agora sim realizei um sonho de criança: ter banda sonora ao andar na rua, como nos filmes!

Curiosamente, porém, no outro dia, ia eu pela Avenida da Liberdade a ouvir o The Blower's Daughter e não encontrei o Jude Law...

sexta-feira, abril 07, 2006

Accidentally in Love

Hoje é o dia em que a Bloggosfera acaba. Não toda, mas esta, que era das melhores que tínhamos.

Comecei a gostar d' «O Acidental» no dia do seu nascimento e mantive-me fiel até hoje. Era o meu Blog preferido, como várias vezes aqui disse (e não vou buscar ao arquivo testemunhos desnecessários!) e não o repetia apenas por simpatia pelo Paulo (que é muita) ou porque gostava de link acidentais. Fazia-o apenas por considerar que «O Acidental» era o Blog que melhor retratava uma direita moderna, frontal e liberal que fazia tanta falta a Portugal.

N' «O Acidental» podia ler o PPM, o que era sempre um prazer, acompanhar os posts do genial RMD, aprender quem é Hayek e que se escreve com k (!), ver as imagens sempre bem escolhidas pelo DBH, ler as teses do HR, reflectir com os textos, sempre certeiros, do JMB, deliciar-me com as polémicas, primeiro com o desparecido Barnabé, depois com Blogs de Esquerda e de Direita e por último com JPP... enfim, tanta coisa e tanta gente fantástica que por lá postava diariamente!

«O Acidental», mais do que um hábito, era já um vício, tal como o café logo de manhã depois de chegar ao escritório... aliás, era durante o primeiro café que lia «O Acidental», assim como os jornais diários. E agora lá acabaram os minutos acidentais, mas vá lá, fica o café!

Tudo isto para dizer que eu gostava de ler «O Acidental» e os Acidentais (uns mais acidentais que outros) e vou sentir a vossa falta.

E agora, dedicado especialmente aos Acidentais (e porque ontem não deu mesmo para ir à festa!): Accidentally in Love

ADEUS «O ACIDENTAL», ATÉ SEMPRE!

quarta-feira, abril 05, 2006

SOS Masculino (Por Shoette)

O meu nome é Shoette e começo hoje, aqui no SLIH, uma nova Coluna de nome “SOS Masculino”. Finalmente os homens, deste mundo, vão saber tudo sobre as mulheres. Quer dizer, Tudo, Tudo não … Quase tudo. Vão saber pelo menos o básico (o que já não é nada mau), aquilo que ou estão sempre a perguntar ou pior que isso não sabem, não perguntam e ainda acham que é uma coisa completamente DIFERENTE.

Quinzenalmente explicarei, detalhadamente, um bocadinho do que envolve o Maravilhoso Mundo Feminino e que nem passa pela cabeça deles.

Que Base para Verniz não é um “sitiozinho especial” que temos lá em casa para pôr o verniz; Que Manolo Blahnik não é o nome de um Jogador de futebol Sul-Americano ou de um qualquer actor de filmes duvidosos; Que os Diamantes nunca são demasiadamente grandes; Que Copa A, B ou C não é o Campeonato ou Liga Brasileira já com as Equipas da segunda e terceira divisões; Que Sex in the City é muito mais que uma série de televisão; e tantas outras coisas que estou aqui para vos esclarecer.

Até à próxima.

Shoettessssss
[Shoette]

SOS Masculino

Tal como prometido aqui há uns meses, eis que o SLIH publica hoje, pela primeira vez, a coluna da sua colaboradora mistério.
Ela chama-se Shoette, é maníaca por sapatos, por New York e por teclar, e vai dar conselhos aos leitores masculinos do SLIH sobre a vida, as mulheres e esse mistério tão grande que são as relações entre o universo masculino e o universo feminino!
SOS Masculino, eis que segue dentro de momentos!

domingo, abril 02, 2006

Eu hoje acordei aqui



The Lowell Hotel, New York
New York, New York. (clicar para ouvir).

New York dos sonhos, a cidade onde todos os desejos se realizam e onde nada fica por fazer... «If I can make it there, I'll make it anywhere».

New York dos filmes, do Sex and the City, do imaginário de todos nós..... New York em Abril ou em Setembro, sempre perfeita e mágica!

O fim

Foi esta a mentirinha de 1 de Abril do SLIH... o anúncio inesperado do seu fim. Poderia ser, mas não foi desta. O SLIH ainda está aqui para as 'curvas', em plena adolescência bloggosférica!

Mas um dia será... nada fica para sempre e um dia terei que dizer adeus ao meu SLIH. Vai doer, vai fazer chorar, mas vai ter que ser... um dia... longínquo!



E como não há coincidências, o 'CITADOR' hoje resolveu dar-me esta citação de Charles Ramuz: "É por tudo ter de acabar que tudo é tão belo". E não é que ele tem razão????

sábado, abril 01, 2006

Ao cuidado do Dr. Ribeiro e Castro (via BSC)


«Candidatar-me à presidência? Não. Dormi com demasiadas mulheres, experimentei demasiadas drogas e estive em demasiadas festas.» George Clooney

Depois de Telmo Correia e de António Pires de Lima (e de Paulo Portas), mais um fora da corrida... Está a ficar difícil a tal ideia de fazer do CDS um partido sexy...

E para a semana

Em jeito de substituição


Uma imagem por um post que não vou escrever.