quarta-feira, outubro 22, 2008

Do avesso

"A verdadeira lição desta crise é, afinal, civilizacional: viveremos melhor se as grandes escolhas do, até há dias, sacrossanto credo neoliberal – muito Estado nas questões morais e nenhum na economia – forem viradas do avesso. Nenhum mal vem ao mundo se os gays se puderem casar; mas se os Estados e a Europa continuarem a correr atrás do prejuízo, sem coragem para atacar a fundo os especuladores e a louca financiarização em que mergulharam as economias, todos, menos os prevaricadores, ficarão a perder. Infelizmente, voltaremos ao assunto."
Miguel Portas, no SOL, 11 de Outubro de 2008


A minha pergunta é simples: porquê virar do avesso as "grandes escolhas do sacrossanto credo neoliberal"? Porque não aplicá-las, por igual, a todas as dimensões da vida e a todas os domínios da relação do Estado com os cidadãos?

Ou bem que acreditamos no indivíduo, na sua liberdade e no seu livre arbítrio (dentro de regras previamente definidas, como é natural) ou bem que não acreditamos. O discurso liberal não pode gostar de liberdade económica e temer a liberdade social, cultural ou moral. "Virar as coisas do avesso" não resolve nada, ou melhor, apenas nos dará mais do mesmo, e disso já estamos todos cansados!

Um comentário:

Nuno Nogueira Santos disse...

Gostei dos comentários em italiano
http://avarinhamagicadevalentimloureiro.blogspot.com/