terça-feira, março 29, 2011

À rasca, mas com iPad


Depois de ter recebido mensagens insistentes da FNAC, em contagem descrescente para a chegada do iPad 2, hoje leio que, em apenas um fim-de-semana, o novo brinquedo da Apple (será assim tão diferente do anterior?) esgotou em Portugal. No Colombo foram precisos 24 minutos para desaparecerem. Dando números à notícia, desde sexta-feira, os portugueses gastaram cerca de 2,5 milhões de euros em iPads!

Podem achar que é demagogia ou que este é mais um discurso "salazarento", mas a verdade é que este não é o comportamento de um país em recessão. Não é o comportamento de um povo garroteado por sacrifícios. Quem não tem dinheiro - e nós não temos - não dá entre 479 e 799 euros por um brinquedo tecnológico que terá mais de bom marketing - excelente, mesmo - do que de interesse real.

Abram os olhos: acabou o dinheiro. Não apenas o do Estado (que é nosso), mas o nosso (nosso, nosso) também. Portugal tem que aprender a viver com menos. E isso significa, entre outras coisas, importar menos brinquedos da Apple e talvez investir para produzir uns brinquedinhos tugas. É assim que se começa.

2 comentários:

mummy disse...

No passado domingo não se conseguia chegar à zona de refeições do Centro Comercial Vasco da Gama, tantas eram as pessoas por centímetro quadrado. Crise? Pois acredito que seja, aquela enchente só podia justificar-se por estarem a dar comida de graça!

Diogo em Macau disse...

May God bless you for this post, darling!